Hermeto garante ações de combate à dengue na Candangolândia

Focos são identificados com o auxílio da comunidade

A partir de uma indicação feita pelo deputado distrital Hermeto (MDB), o programa SANEAR/DF – DENGUE , voltou à Candangolândia na última sexta-feira (29). O objetivo do programa é mobilizar a população e órgãos públicos para ações de enfrentamento a doenças causadas por arboviroses, que são a dengue, zica, febre amarela e febre Chikungunya.

Desta vez a área beneficiada pelo projeto foi a QR-OA, onde existia uma grande proliferação do mosquito Aedes Aegypti, transmissor de várias doenças. No local alguns moradores relatam terem sido picados.

João victor mora e trabalha na Candangolândia e relata ter contraído dengue duas vezes em um período de dois meses.

“Na segunda vez que peguei perdi uns 11 quilos, além de ser muito dolorosa essa doença nos deixa muito fracos. É muito importante ter esse tipo de ação aqui dentro, para evitar que outras pessoas também sejam picadas.”

Afirmou João Victor.

Os moradores receberam visitas da equipe do SANEAR/DF, em suas residências, que orientaram sobre as formas de combater ao mosquito transmissor da dengue e sobre o enfrentamento ao COVID-19. A região recebeu também o UBV costal, mais conhecido como fumacê.

Para identificar os focos de dengue Hermeto conta com a participação da população que leva suas solicitações ao deputado, e ele transforma em indicações aos órgãos do executivo.

“Estamos no meio da pandemia do Coronavírus mas não podemos deixar de lado a dengue que também mata! Com cada um fazendo sua parte vamos exterminar esse mosquito da nossa comunidade”

Conclui Hermeto
Imagens d=cedidas pela administração regional da Candangolândia

Combate ao Aedes

O engajamento da população também é fundamental no combate ao Aedes aegypti. A principal forma de se prevenir contra as doenças transmitidas pelo mosquito é manter o monitoramento constante nas residências, sempre buscando evitar água parada e a proliferação do inseto. Confira algumas dicas:

– Mantenha caixas d’água, tonéis e barris de água tampados;

– Mantenha garrafas de vidro ou plástico sempre com a boca para baixo;

– Encha os pratinhos ou vasos de planta com areia até a borda;

– Limpe as calhas com frequência, evitando que galhos e folhas impeçam a passagem da água;

– Em caso de identificação de focos do mosquito, acione a Vigilância Ambiental pelo telefone 160.

*Com informações da Secretaria de Saúde

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui